quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Regresso às cinzas

Portugal nunca foi um país onde os escrúpulos tivessem força de opinião. São mais medo de perder o emprego do que de perder a alma.
Agustina Bessa-Luis, in O mistério da légua da Póvoa
foto: extra.globo.com
1. A bizarra entrevista em direto televisivo a um estafeta atarantado que ia entregar uma piza na casa onde Sócrates está em prisão domiciliária é um episódio vexatório para quem se presta a esse tipo de pseudojornalismo, escreve Martim Silva, na rubrica Do Céu ao Inferno da revista E do passado sábado.
Não podia estar mais de acordo.

2. O suplemento do jornal Público das sextas-feiras, o Imigo Público, é para alguma gente que nunca gostou de pensar, uma coisa sem sentido. Parvoíce! Só diz uma coisa dessas quem é parvo. Reparemos neste (curto, mas belo) pedaço de prosa:
Entregadores de pizas em protesto contra jornalismo de sarjeta
Mais de cinco mil estafetas de pizas ao domicílio foram para a rua em várias cidades do país em protesto contra o jornalismo que explora banalidades.
E é só a brincar, não é?

3. Em suma, eis o resultado na pena de João Adelino Faria (Dinheiro Vivo, 15.09.12): Quem é o entregador de pizas mais famoso de Portugal? Não há dúvida! Quase toda a gente ficou a conhecer o simpático rapaz que foi entregar uma piza à casa onde vive agora José Sócrates. Sem saber onde se ia meter.

4. Ah! O gato fedorento, na segunda-feira mostrou tudo na TVI. Direitinho; com pinta. Vale a pena ver (ou rever).

Sem comentários: