terça-feira, 15 de setembro de 2015

O sucesso atrai sempre aves de mau agoiro

Houve um tempo em que vivi obcecado
Pela acumulação dos objetos.
Casimiro de Brito, in Nem senhor nem servo
José Bastos, o vereador responsável pela Cultura em Guimarães, resolveu – em boa hora, vinque-se –, lançar uma certa “arte para sonhar”. Uma realidade (que já não é apenas um olhar, mas um olhar inteligente) sobre a realidade de que se faz a Guimarães cultural.
Essa excentricidade, confesso que me surpreendeu, mas é muito interessante; algo que só pode merecer (todo) o apoio de (todos) os vimaranenses.
Se é verdade que Guimarães é uma cidade de cultura – disso só alguns estranhos acicatados do desejo cinzento de outros tempos (ou, quiçá, desejosos desses tempos)  duvidarão –, torna-se fundamental espalhar a boa realidade por todo o território concelhio. E isso, caramba!, é bom. E, estou certo, não porá (nunca) em causa uma identidade cultural vimaranense; reforçá-la-á. E ver isso só para quem tem olhar de lince.
Acho excelente a ideia, senhor vereador. Sim, Guimarães, cidade de cultura, (também) gosta de eXcentricidades (bela ideia esta!).

Sem comentários: