quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Quando o Homem apagar a noite

Nem a mais arrebatadora das graças escapa à lei do envelhecimento.
Milan Kundera, in A Festa da Insignificância
foto: portugalsenior.org
Leio este título do jornal Público (15.08.14) – Crime de abandono de idosos atirado para a próxima legislatura – e só posso dizer (por mais estranho que possa soar): claro!
Os idosos (na sua grande maioria) não votam!
Ai se votassem…
Tudo seria, não um desejo adiado, mas a certeza de que alguém viria, a seguir, afirmar: fomos nós.
Que parca é a política em Portugal!
Aproxima-se cada vez mais de senilidade que arrasa a raça humana; que destrói o Homem.

Sem comentários: