quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Mitos de uma cidade branca

Às vezes despedimo-nos tão cedo
que nem lágrimas há que nos suportem o
peso da voz à solidão expoente.
Gastão Cruz
1.Turistas elegem Braga como cidade onde preferem pernoitar”.
O quê? Os turistas que vêm até nós, no minho, preferem Braga?
Olá lá!

2. Olhando para este título do Diário do Minho (15.08.11) comecei por ficar desconfiado; mas, como dizia a minha avó, nunca confiar! E fixei-me no essencial.
Pelos vistos – é um texto não assinado, mas da responsabilidade daquele diário bracarense detido pela igreja católica, isto é da redação (e baseado na Lusa; também tem ela com um pedacinho de igreja, sabiam?) – que confirma aquilo que o antigo vereador da CDU na câmara de Guimarães Cândido Capela Dias disse há dias na ASMAV (ver aquil)

3. Porra! Por que raio pensava eu que Guimarães também tinhas umas dormiditas!
Pois é!, é sim, senhor, uma cidade igual a Póvoa de Varzim, Viana do Castelo, Chaves e Espinho. Assim mais ou menos ao nível das cidades mais pequerruchas que por aí vai entrando na órbita das grandes cidades.
Ai Guimarães. Quem te imaginou e quem te vê!

Sem comentários: