segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Estar no tempo

Estou sozinho, nas estantes, restos
da minha vida.
Eugénio de Andrade, in Rente ao dizer

Aquando da visita à feira de artesanato de Vila do Conde tive a oportunidade de pegar e ler um desdobrável – certificar o artesanato valorizar a identidade portuguesa – que me deixou feliz. E vaidoso por ser vimaranense.
Lá estava Bordado de Guimarães. E um pequeno texto de onde destaco “a profusão dos motivos aliada à riqueza dos pontos utilizados confere ao bordado de Guimarães uma expressão única e marcante”.
Gostei. Ali mesmo em Vila do Conde onde os bilros se exibem em grande formação.

Sem comentários: