sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Uma questão de fé

foto: planoclato.com
Um ministro do governo de Pedro e Paulo veio até Guimarães “aproximar o estado do cidadão”. E, convencidíssimo de que em Guimarães só o PSD é que é senhor absoluto do futuro, o senhor ministro anunciou coisas em sede de PSD (eu sei que não foi na sede). Coisas que fizeram sorrir os militantes social democratas vimaranenses. Coisas que, pela sua importância e impacto mereciam a presença de um senhor ministro do governo de Portugal. Coisas que um dirigente partidário até pode transmitir aos seus apaniguados, mas não num espaço público, e com a presença de jornalistas. ou, pelo menos, achava eu que em nome de alguns valores, não devia.

Ó Casimiro deixa o senhor ministro em paz!
Não, não deixo, é que Poiares Maduro veio a Guimarães, ainda há pouco tempo, e ali em Couros, fez questão de agradecer à autarquia vimaranense as “diligências efetuadas pela Universidade do Minho e a Câmara de Guimarães para a instalação da unidade operacional das Nações Unidas”.

É por estas e por outras que considero uma chatice a presença de ministros em festas partidárias. Confundem tudo. Baralham as pessoas. E põem alguns a transportar bandeiras que não sabem como se transportam.

Post scriptum – Perante simpatizantes e militantes laranja Poiares Maduro tem uma ousadia que quase sobe a serra de Santa Catarina e abraça o Pio IX. Essa de considerar que as reformas do Estado têm sido benéficas para Guimarães só mesmo para quem tem muita fé. E acredita em tudo. E ainda há quem diga que estas palavras vêm de “figuras de manifesta relevância nacional”! Caramba! Se não tivesse a coisa devia chegar ainda mais alto.

Sem comentários: