quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Olhar do silêncio

Os cidadãos pagam impostos sem apelo nem agravo, ao mesmo tempo que são sobrecarregados com cortes nos salários e pensões e outros encargos (…) é neste contexto que a Galp e a REN se acham no direito de não pagar 60 milhões de euros de contribuição extraordinária sobre o sector energético.
Manuel Carvalho da Silva, Jornal de Noticias, 14.11.22

Sem comentários: