segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Que tristeza!

Por que razão o governo do meu país colocou o desemprego na minha região muito acima do registado pelo IEFP?

Será mesmo por no distrito bracarense quem decide tudo o que diz respeito às dores e ao futuro violento das pessoas que, ou trabalharam uma vida inteira e agora estão sem apoios ou não têm fontes de subsistência, é um vimaranense?
Não pode ser, pois não?

Sem comentários: