sábado, 6 de setembro de 2014

Portugal com a espada nas costas

Novas regras incham PIB com droga mas duplicam recessão da troika.
Título, i, 14.08.30
O meu país, aquela pátria à beira mar plantada e onde o sonho cresce em cada olhar dos poetas é uma selva. No comando dos seus destinos perdeu-se o controlo dos dias; mataram-se todos os desejos e experimentam-se todas as encenações macabras.
No meu país – que, temo, não seja mais o futuro dos meus – o “emprego: está a aumentar, o que é ótimo. Mas quase dois em cada três contratações das empresas estão a ser subsidiadas pelo Estado”. (Pedro Santos Guerreiro, Expresso, 14.08.30)

Sem comentários: