terça-feira, 2 de setembro de 2014

Diferenças

O discurso europeu olha para a cultura cada vez mais e apenas no sentido do seu valor económico. Mas depois o que acontece é a redução sistemática dos orçamentos para a área.
Jean-François, atual, 14.08.30
Escreve o jornalista Joaquim Martins Fernandes no diário bracarense Diário do Minho (14.08.27) que as cidades minhotas de Guimarães e Braga estão nos “três municípios que mais investiram em cultura e desporto” em Portugal, entre os anos de 1995 e 2012.
É excelente!
E só ter ‘por cima’ Lisboa, que pela sua dimensão - não espanta -, o tamanho orçamental, é sinal de diferença: de fazer diferenças.

Guimarães está mais do que referenciada quer ao nível cultural quer ao nível desportivo. E - independentemente da importância que tiveram como marcas de excelência - nem sequer vale a pena trazer aqui e agora a CEC 2012 ou a cidade europeia do desporto, porque o que acontece regularmente em Guimarães já é a normalidade que os vizinhos seguem. E, já alguém reaprou?, sem pagar direitos de autor?

Daí que, como vimaranense, fique feliz com a mudança que vai acontecendo em Braga, desde logo, porque eleva a patamares importantes os cidadãos desta região.
E, por outro lado, no que concerne a Guimarães, fica claro que a ‘bota bate com a perdigota’, isto é, o discurso politico não está além da prática politica.

Sem comentários: