domingo, 14 de setembro de 2014

Amanhã já não sou eu

numa cama do HM.

bom dia senhor M..
bom dia senhor padre Z..
conhece-me, senhor M.?
muito bem! a si e ao seu Deus; que também já foi meu.
e agora não é senhor M.?
sabe? uma vez, Ele disse-me para eu viver a vida com a mesma intensidade dos que nunca o conheceram. e sabe, senhor padre Z., que tenho sido muito feliz vivendo?
eu só vim aqui…
eu sei. para me sossegar e desejar que vá em paz. não se preocupe comigo, nesse particular. sei bem para onde vou. e encaro-o com a calma e a naturalidade com que vivi todos os pedaços de uma vida bela. felicidades para si, senhor padre Z. bem precisa! o senhor é bem melhor do que aquela tropa onde está metido. onde o vazio, a ilusão e a mania da qualidade única, são uma loucura pior que uma doença.
vai em paz, senhor M.?
felicidades, senhor padre Z..
por favor, mate o ébola que matará tudo no seu redor!

Sem comentários: