sábado, 2 de agosto de 2014

nenhum homem é sempre herói (nem para o seu escudeiro)

neste verão não abandones
o teu corpo
em lado nenhum.

(mesmo que tudo venha da vacuidade
que percorre entranhas sem conteúdo)

neste verão não abandones o teu corpo
seja onde for; ainda que a chuva
te prometa a costa de uma qualquer terra
nova; de fantasia. toda ilusão por inventar.

este verão não abandones
o teu corpo

a não ser em porto seguro.

Sem comentários: