quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Escuridão no futuro

Título do Público, 14.08.12
foto: publico.pt
Num trabalho de Sérgio Aníbal no jornal Público da última terça-feira pode ler-se que para o Tribunal Constitucional os cortes na Segurança Social, para além de significarem visão de curto prazo do governo de Pedro e Paulo, são medidas precárias, ou sela, significa que o governo não tem sido capaz de “encontrar soluções alternativas permanentes que compensassem o impacto orçamental”.

O pior é que perante tal realidade lamentável; de bradar aos céus da realidade doentia que nos vai esmagando a precaridade da ação e da atitude dos portugueses é uma realidade doentia. Uma realidade de comodismo e apatia que mata.
Mas, ao que parece, os portugueses gostam do que vão vivendo; sentindo e sofrendo.

Sem comentários: