segunda-feira, 2 de junho de 2014

Ecos de contendas II

António José Seguro e “o fim do III Reich”, como escreveu um suposto apoiante de António Costa?
Que raio de junção vem a ser esta?

No dia em que a morte entrar pela memória dentro (da internet) haverá quem jure que nunca; nunca, mas nunca mesmo escreveu que António José Seguro “parece agir do seu ninho de águia”?
O líder que evitou a balcanização de um partido à mercê de interesses que agora (qual hidra esfomeada!) levantam pescoços prontos a sugar tudo o que mexe, e que atirou para o canto mais escuro da história um novo PRD (que alguns desejavam a todo o custo), que ganhou duas eleições com pompa e circunstância (não, não estou a falar das 150 autarquias que o partido ganhou – histórico, não é? – estou mesmo a falar do massacre na direita) pode lá andar nos fantasmas da História!

A malvadez sempre atravessou a tacanhez da Humanidade, bem sabemos, mas é preciso ser-se assim tão reles?

Sem comentários: