segunda-feira, 9 de junho de 2014

Eco sem voz

Leio na edição de junho do Reflexo que Constantino Veiga, presidente de junta de Caldelas “enaltece a alteração muito positiva no relacionamento entre a junta de freguesia e a câmara de Guimarães”.
E interiorizo também que Constantino Veiga “destacou a abertura para o diálogo por parte de Domingos Bragança”, como se pode ler naquele mensário.


Não entendo a intervenção do PSD vimaranense na assembleia municipal de hoje. A sério! Que pretendia César Teixeira com a sua intervenção sobre a reunião de câmara que decorreu na vila termal?
É verdade que Constantino Veiga, atrás do líder parlamentar laranja, estava sossegadamente sentado no seu lugar! E quando o sossego perpassa uma sala daquelas, vale a pena pensar que nem sempre estamos em condições de afirmar que temos as chaves da cidade maravilha.

Sem comentários: