segunda-feira, 19 de maio de 2014

O outro é sempre alguém


foto: http://www.dw.de
Em 1936, a três dias de ganhar o segundo mandato, Roosevelt, o presidente que regulou o sistema bancário que causou a Grande depressão de 1929 e ergueu a América com o New Deal, disse: “sabemos agora que o governo pelo dinheiro organizado é tão perigoso como o governo da máfia”.
Fernanda Câncio, Diário de Noticias, 14.05.16

Escreve Luísa Meireles (atual, 14.05.17) que “uma das grandes ironias da crise é que a União Europeia, criada para manter sob controlo o poder alemão, acabou por colocar o poder da Europa nas mãos da Alemanha e dez da sua líder, Angela Merkel, a mulher mais poderosa do mundo”.

Ou seja, há ventos de fora que uivam nas nossas janelas muito para além das nossas realidades cognitivas (tantas e tantas artistices saídas de uma qualquer bolsa fantasma) que nos querem matar enquanto nos apanham distraídos.

Ainda há, felizmente!, um Outro que nos coloca o olhar nos sonhos que nos engrandecem. Ah! a politica não é, nunca foi a arte da fuga).

Sem comentários: