quinta-feira, 1 de maio de 2014

Luz intensa e a escuridão que é já ali

foto: cm-guimarães
Cada vez percebo menos Monteiro de Castro.
Mas também, dir-me-ão, que nem tenho que perceber. Claro, claro. Mas que me questiono: o vereador eleito na coligação Juntos por Guimarães, mas militante do CDS, pretende o quê com a sua ideia de “propostas mais transparentes”?

É claro que sei muito bem que é muito confuso discutir alguns assuntos quando, sobre a mesa se cruzam o político, o construtor, o organizador imobiliário ou o promotor de uma qualquer novidade que mexa com interesses, sejam eles de natureza política, estratégico-empresarial ou partidário-qualquer coisa. Mesmo assim volto a confessar a minha agnosia, ainda que o desejo de perceber melhor o que pretende o vereador Monteiro de Castro seja muito, mas mesmo muito grande.


Domingos Bragança, o presidente de câmara de Guimarães, vai dizendo que “se pode melhorar a gestão, na perspetiva do custo-benefício”.
Pode ser um caminho. Mas reconfesso a minha ignorância sobre o que será isso de “propostas mais transparentes”.

Sem comentários: