terça-feira, 20 de maio de 2014

Enormes cidadãos de Guimarães

foto: jn.pt
É público desde a última quinta-feira que António Magalhães e Rui Reis serão “cidadãos honorários” de Guimarães. Que bom!

Independentemente de subscrever as dúvidas de António Amaro das Neves sobre esta coisa do “honorário”, estou certo de que o executivo municipal de Guimarães, presidio por Domingos Bragança, cometeu um ato de justiça. Para com dois excelentes antecipadores do futuro, com duas pessoas que nunca se agacharam nas trincheiras do facilitismo e que – cada um à sua maneira – são capazes de agitar todas as apatias.


(A propósito, abro um parêntese para enaltecer a atitude de André Lima nas declarações prestadas aos jornalistas, no final da reunião).

Voltando às condecorações que ainda terão que passar pela assembleia municipal e onde serão sujeitas à que ser aprovadas por 2/3 dos deputados municipais e em escrutínio secreto, toda a gente em Guimarães está convencida de que tal aprovação passará calmamente ali na Plataforma das Artes. Eu também acredito. Mas o fantasma da não aprovação da medalha de ouro a Mário Soares há uns anitos atrás permanecerá por muitos anos.

Uma nota final para vincar que nem Rui Reis nem António Magalhães me apanham desprevenido nesta excelente decisão do executivo vimaranense. Aliás o único comentário é: Guimarães só tem a agradecer-vos.

Sem comentários: