domingo, 25 de maio de 2014

Culpa e silêncio

ontem os culpados; hoje nós
sempre esmagados
pelos culpados de sempre.
santos que o tempo sempre levou ao altar
da redenção escolhida a dedo!
quase sempre invisível
tremendos malfeitores – criadores das dores
violentas que matam a cada instante
no instante sofrido

sentem-se donos perfeitos; únicos (dizem eles)
e completos do futuro - onde não cabe
mais ninguém (dizem eles)
amanhã todos nós
(os que ouvimos, vemos e sentimos)
não temos dúvidas: todos fomos enganados!
teimaremos em usar as bitolas que nos dizem
rendem, rendem, rendem

e rendem; só para alguns?

Sem comentários: