sexta-feira, 21 de março de 2014

Ideias elásticas

 
1. O medo dos mercados não pode servir ao primeiro-ministro para tentar impor ao país um discurso único: o seu.
Fernando Madrinha, Expresso, 14.03.15

2. Podemos, é claro, acabar com o SNS [Serviço Nacional de Saúde], para pagar a dívida. Ou acabar com a escola pública. Ou com as Forças Armadas. Ou com todas as penões de reforma.
Miguel Sousa Tavares, Expresso, 14.03.15

3. Para gerir a dívida nas regras atuais, são precisas duas coisas: ritmos de crescimento e saldos orçamentais como nunca tivemos; e manutenção, se não agravamento, das restrições orçamentais.
Augusto Santos Silva, Jornal de Noticias, 14.03.15

A máquina infernal que vende o governo em todo o lado também lê jornais?
E lá vamos cantando e rindo?

Sem comentários: